Ficar zen para ficar bem


Eu queria poder acalmar meu coração na hora do desespero, mas o ritmo acelerado das minhas emoções faz com que tudo vire um rebuliço aqui dentro.

É tanto compromisso nesta realidade dinâmica, que somos obrigados a nos ligar e desligar de repente. Isso exige de nós uma tarefa difícil na direção da paz interior.




Toda essa energia pulsante dos centros urbanos, repleta de competitividade e estresse, traz, também, uma negatividade, muitas vezes imperceptível, mas que desarmoniza uma mente despreparada.

O exercício da autodisciplina mental deve ser uma constante, pois só assim evitaremos fadigas físicas e mentais, assim como a somatização de tantas outras dores generalizadas pelo corpo.

Podemos começar nutrindo a consciência do "estar na sua", uma forma de proteger-se e perceber a situação do cotidiano da vida por meio da visão mais apurada das adversidades.

Quando limpamos a nossa mente e passamos a vigiar os nossos atos, não nos deixamos envolver em situações que possam nos desconcertar. Todo conflito é maléfico, e, se dito ou feito, retorna como energia negativa que nos atinge.

Mente e corpo são como uma casa que, após muito tempo fechada, precisa de ar e de luz para que as impurezas acumuladas se dissipem.

Mas se engana aquele que pensa que ficar zen é ficar de papo para o ar. Ser zen é ser simples, leve, porém decidido. É fluir com o fluir da vida, sem drama ou complicação. É também sentir cada detalhe e perceber nesses momentos o valor das pequenas coisas.

Ser Zen deve ser uma prática diária. Um estilo de vida. Quando você adota uma postura de paz e harmonia em sua vida os dias acontecem com mais sutileza.

***

Neste site, encontrei alguns conselhos para uma vida de mais equilíbrio:

1. Equilibrando o sono e a fome
Estes são os fatores que mais podem ajudar para iniciar uma vida Zen. Se nos policiarmos para que nossa alimentação e nosso sono sejam mais equilibrados, eles podem ajudar a não termos nenhum tipo de distúrbio físico que nos cause nervosismo, ansiedade ou cansaço.

2. Modere seus prazeres
Temos a tendência de sempre curtir nossos prazeres ao extremo: quando vamos a uma festa, curtimos até o último instante e com todas as regalias que podemos; quando trabalhamos com algo que gostamos, trabalhamos por horas sem descanso. Moderar é sinônimo de disciplina, que inclusive é uma das bases do caminho da Yoga. Portanto, discipline-se para entender em que momento da sua vida você está exagerando nos prazeres, que também podem ser pequenos (com comidas ou bebidas, por exemplo) e mudá-los para fazer “apenas o suficiente”.

3. Equilibre suas atividades
Atividades físicas ou atividades pessoais / profissionais também tem de ser equilibradas. Assim como pontuamos os “extremos” no passo anterior, nas atividades não somos diferentes: fazemos pouco quando podemos por preguiça e fazemos muito quando podemos para aproveitar o tempo. Fazer um roteiro de atividades e descansos é necessário, para que nem um e nem outro fique saturado e te sugue energias.

4. Melhore seu relacionamento interno e externo
Muitas pessoas também têm o costume de se autocriticar demais, se autocobrar ou apenas não ouvir o que sua intuição ou seus sentimentos estão querendo dizer, piorando cada vez mais seu relacionamento interno e só agindo em prol do externo. Pratique mais o autoperdão, a autoaceitação e a autogratidão. Agradecer, perdoar e aceitar nos livra de muitos sentimentos pesados e densos, que nos prendem a uma vida triste e rancorosa.

5. Se expresse de maneira mais positiva
Geralmente, no dia a dia, a reclamação é algo comum. Adoramos reclamar de pequenos problemas, de acontecimentos que estão fora de nossas expectativas, ou ainda falar mal de alguma coisa ou de alguém. O que não percebemos é que essas atitudes mais afetam as nossas energias do que ajudam. Estamos sempre criando padrões negativos em nossa mente e em nossa vida, que não vão levar a nada. Portanto, se expressar de maneira mais positiva, adotar mais hábitos de elogios e mudar pontos de vista negativos para positivos ajudam bastante a levarmos uma vida mais Zen.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.