Campos do Jordão: um lugar para chamar de meu



Oi minha gente linda! Tudo bem com vocês? Preparem-se, porque hoje é dia de textão e sobre um dos assuntos que mais gosto: viagem.

No finalzinho do último mês, em maio, meu esposo e eu decidimos viajar para Campos do Jordão, interior de São Paulo. Já havíamos sido seduzidos pelo clima frio e adoramos bons restaurantes. Na época em que estávamos planejando, ficamos em dúvida sobre este e Gramado, mas, conversando com pessoas próximas e lendo relatos na web, acabamos, de fato, optando pelo primeiro. E não poderia ter sido melhor! <3 <3 <3

Fomos de avião para São José dos Campos. Inclusive se você estiver organizando sua viagem e puder ir por Guarulhos, vá. O aeroporto de São José é desprovido de lanchonetes e muito pequeno.

Chegamos tarde demais, por volta das 22h, para pegar o último ônibus para Campos do Jordão, cidade a 85km dali. Teríamos que dormir em um hotel próximo a rodoviária e acordar bem cedinho para pegar o primeiro ônibus e chegar logo. Então, decidimos conversar com um taxista para ver qual valor ele faria para nos levar até Campos. Deu certo! ;)

A viagem até lá foi longa, acho que mais pela ansiedade que estávamos sentindo... Fora, claro, as inúmeras curvas da subida da serra. Chegamos à pousada mais de meia noite e ficamos bastante tempo entre palmas, ligações e um pouquinho de muvuca na porta, e ninguém atendia. Cheguei a pensar: o local está fechado e fomos enganados! Mas a verdade é que eu havia avisado o dono, Antônio, da nossa chegada na manhã seguinte, e ele não esperava ninguém àquela hora. Sem hóspedes, nossa sorte foi que ele mora ao lado e foi nos atender bastante assustado.

Vista do quarto

Recepção e área do café da manhã - João apreciando a coleção antiga de gibis do Antônio

Espaço do café

Mas logo a decepção inicial deu lugar a um lugar cheio de carinho e atenção da parte dos funcionários. Antônio nos levou ao quarto e nos preparou um lanche que foi rapidamente devorado. Nos arrumamos para dormir naquele quarto de madeira, com lareira e uma linda vista.

Na manhã seguinte, levantamos tarde - e aí entendemos o porquê de o café da manhã ser servido até meio dia. Naquele friozinho e o blackout das cortinas, ficava fácil entrar a tarde.

O café da manhã era repleto de delícias; algumas preparadas pela esposa do Antônio. Pedimos indicações de locais para conhecermos e fomos apresentamos a muitas: Borboletário, Horto Florestal, Tarundu, Morro do Elefante e a famosa Capivari, entre outros.

A pousada conta com serviço de carona para os principais locais; se não levarem, explicam com carinho sobre a melhor forma de chegar ao destino. Nessa semana, pedimos táxi somente uma vez e o valor é alto. Andamos bastante a pé também. A cidade tem uma única rua plana, a principal que liga os bairros de Campos do Jordão. Ahhh! Mas fica fácil andar com aquele clima gostoso e as paisagens lindas.



Vira Capivari

Todos os dias, ao levantarmos e organizarmos a agenda do dia, encontrávamos espaço para visitarmos o charmoso bairro da Vila Capivari. O local reúne restaurantes, galerias, gente bonita e muito romantismo. Aliás, a cidade é opção para casais apaixonados. Nos shoppings, você pode comprar meias e mais meias <3, roupas, calçados e muitos acessórios. Também pode tomar os melhores chocolates quente do mundo e comer muuuito bem.


Para felicidade do João, almoçamos, quase todos os dias, no Baden Baden. E, quando decidimos conhecer outros locais, acabamos nos arrependendo. ;p Mesmo! A pizza quadrada que tanto anunciam não é boa... rs

A Vila é ponto de encontro dos pets mais lindos e quentinhos, com roupas de frio. É que a cidade conta com várias opções de hotéis que aceitam cães de pequenos porte. Também os cachorros de rua são muito bem cuidados pelos turistas e comerciantes.



Pertinho da entrada para a Vila Capivari, ficam o bondinho urbano, o pedalinho e o teleférico. Este dá acesso ao Morro do Elefante (1800 m acima do nível do mar), com uma vista incrível, e gelaaada! O ingresso para o teleférico é 15 reais por pessoas, ida e volta.


Morro do Elefante

Vista subindo pelo teleférico

O bondinho é outra atividade bacana. Ele percorre boa parte da área urbana de Campos do Jordão. O passeio tem início na estação Emilio Ribas, na Vila Capivari, e termina no bairro de São Cristóvão, 40 minutos depois.





Um passeio que realmente indico é o Parque Estadual de Campos do Jordão, conhecido também como Horto Florestal. A 13 quilômetros de Capivari, você tem acesso a uma área de 8.300 hectares de natureza preservada, com araucárias centenárias, trilhas para caminhadas, cachoeiras, fauna diversificada, áreas de piquenique, lanchonetes, restaurantes e local para compra de mudas.

Depois dele, você, que mora em Goiânia (GO), vai achar impossível chamar Vaca Brava e Flamboyant de parques, hehe. No máximo, praças mais arrumadinhas. Verdade! O local é lindo demais! Se você for de ônibus, não paga a entrada, e ainda aprecia paisagens lindas da serra. De carro, a a entrada é 13 reais.

Quer ver mais fotos? Acompanhe pelo meu IG!

Para quem busca um lugar romântico, viajar no comecinho da temporada de frio é uma boa ideia. Vale muuuito a cidade. Finalizo este post com a sensação de quero mais! E vamos voltar!

2 comentários:

  1. Olá Ana Lídia !!
    Adorei seu post.
    Poderia estar recomendando a pousada?

    ResponderExcluir
  2. Oi Vanessa! Fiquei na Pousada dos Esquilos. =)
    Um beijo

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.